302 Found

302 Found


nginx

Notícias


Na última semana foram realizadas mais três defesas de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação do Campus UFRJ-Macaé, PPG-CiAC.

Dentre elas, no dia 10, Paula Araujo Catelani obteve seu título de Mestre com a dissertação intitulada “A influência do gradiente ambiental do estuário do Rio Macaé, RJ, na composição da ictiofauna: uma abordagem das guildas ecológicas”. Através de amostragens trimestrais em 16 km do estuário do rio Macaé, Paula registrou a ocorrência de 128 espécies de peixes que ocupam o trecho final deste importante rio de nossa região em pelo menos em uma fase de seu ciclo de vida.
Os professores e pesquisadores Alexandre Miranda Garcia e Érica Maria P. Caramaschi - respectivamente da FURG (Rio Grande) e UFRJ Campus do Fundão - foram os avaliadores da candidata. No dia seguinte à defesa, o Prof. Garcia percorreu os ecossistemas aquáticos costeiros que são alvo das pesquisas de peixes conduzidas em nosso Campus. A FURG e a UFRJ são universidades participantes do Programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração, com seus sítios de pesquisa respectivamente localizados no estuário da Lagoa dos Patos (RS) e Restingas e lagoas costeiras do Norte Fluminense.

 

defesa paula640


Foram aprovados dezessete alunos no processo seletivo de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Campus Macaé" conforme documento em anexo.

A matrícula destes alunos nos mestrado deve ser realizada na secretaria acadêmica da pós-graduação do PPG-CiAC a partir do dia 05 de março.

Resultado do processo de seleção


Estão abertas as solicitações de credenciamento de novos docentes no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientas e Conservação (PPG-CiAC). Docentes ainda não credenciados interessados em apresentar alunos na próxima seleção devem encaminhar ao coordenador solicitação conforme as normas em anexo até o dia 08 de janeiro.

Maiores informações: (22) 3399-3935

Acesse aqui as Normas de Credenciamento


Veja aqui a relação dos candidatos que tiveram suas inscrições homologadas, concernente ao EDITAL Nº 228/2012.


Entre os dias 5 a 9 de novembro de 2012, foi realizada nas instalações da Academia Nacional de Biodiversidade (ACADEBio), em Iperó-SP, a III Oficina de Avaliação do Estado de Conservação de Peixes Continentais, com os recortes das ecorregiões do Paraíba do Sul e Fluminense, em conjunto com a II Oficina de Avaliação do Estado de Conservação de Peixes Amazônicos. Estas oficinas estão sendo promovidas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que possui como meta avaliar, até 2014, o estado de conservação de todas as espécies de vertebrados brasileiros, de acordo com o compromisso firmado pelo Brasil na Convenção sobre Diversidade Biológica – CDB.

Cerca de 40 pesquisadores de todo o país, incluindo os alunos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação Paula Araújo Catelani e Vagner Leonardo Macedo dos Santos, participaram desta etapa crucial do processo promovido pelo ICMBio. Nesta oficina foram avaliadas 309 espécies, sendo 188 espécies amazônicas da família Loricariidae (que inclui os peixes popularmente conhecidos como cascudos e bodós, entre outros), além de 121 espécies de peixes de diversos grupos taxonômicos que ocorrem nas ecorregiões Paraíba do Sul e Fluminense. Informações como distribuição geográfica, impactos conhecidos e prováveis, e possíveis tendências de variação populacional, foram utilizadas com o objetivo de estabelecer o risco de extinção de cada uma destas espécies, empregando a metodologia desenvolvida pela IUCN ("International Union for Conservation of Nature" - http://www.iucn.org), uma das principais organizações promotoras da conservação.

Das 188 espécies de loricariideos amazônicos avaliadas, 14 estão em risco de extinção, sendo três Criticamente em Perigo (CR), seis Em Perigo (EN), e cinco Vulneráveis (VU). Outras nove espécies do grupo merecem atenção especial por terem sido consideradas como Quase Ameaçadas (NT), o que indica que provavelmente entrarão em alguma categoria de ameaça nos próximos anos se medidas preventivas não forem adotadas. A boa noticia é que 117 destas espécies amazônicas foram consideradas como Menos Preocupantes (LC). Entretanto, 45 das espécies de cascudos amazônicos são muito pouco conhecidas, sendo consideradas como Dados Insuficientes (DD).

Das 121 espécies avaliadas de peixes das ecorregiões Paraíba do Sul e Fluminense, cinco foram categorizadas como Criticamente em Perigo (CR), sete como Em Perigo (EN), uma como Vulnerável (VU), 13 como Quase Ameaçada (NT), 58 como Menos Preocupante (LC), e 37 como Dados Insuficientes (DD). Entre as principais ameaças que impactam a fauna de peixes do Paraíba do Sul, estão a construção de hidrelétricas, introdução de espécies exóticas, e desmatamento da mata ciliar. O número de espécies de peixes de água doce do Estado do Rio de Janeiro consideradas como Dados Insuficientes é expressivo, e indica que mais estudos são necessários para que até mesmo alguns aspectos simples da biologia destes organismos possam ser compreendidos de maneira satisfatória.

Além de ser um evento importante para a conservação da fauna brasileira, essa Oficina possibilitou um contato direto entre os alunos do PPG-CiAC e alguns dos principais ictiólogos do país, em uma troca de experiências academicamente saudável.

fotoiperosite

UFRJ PPGCIAC - Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação
Desenvolvido por: TIC/UFRJ